Infectado pelo VIH – o que fazer?

Embora provavelmente tenha ficado preocupado com o resultado, a certeza de estar infectado é sentida por muitos, num primeiro momento, como um rude golpe. Muitos são assaltados pelo medo ou dúvida, outros sentem-se completamente impotentes e mergulham numa dor profunda. O primeiro tempo após a comunicação de um resultado de teste positivo pode ser marcado por um estado confuso de vários sentimentos.

Foi um choque tremendo, senti-me totalmente impotente, não sabia como, o quê, nem para onde ir. Senti uma pressão tremenda em mim, tinha frio e calor ao mesmo tempo, pensei que tinha de fugir dessa situação – e no trabalho tinha de me comportar como se nada se passasse. Cristina, 55 anos

Estas são reacções compreensíveis perante a comunicação de um resultado de teste positivo, dado que a saúde fica seriamente afectada por uma infecção pelo VIH.

No entanto, mesmo que num primeiro momento isso nem possa passar pela cabeça, a experiência demonstra que as pessoas infectadas pelo VIH aprendem, com o tempo, a lidar com a infecção.

No início, pode ser razoável entregar-se aos sentimentos e aceitar esse estado de «inactividade».

Após umas noites sem dormir ou uns dias passados a cismar, muitas pessoas fazem aquilo que as tem ajudado em situações difíceis da vida: algumas procuram a solidão, outras desabafam com bons amigos, outras ainda informam-se ou organizam o seu dia-a-dia de outra forma…

Caí numa fossa, senti-me mal durante uma semana, fechei-me em mim mesmo, senti a solidão. Por que logo eu, por que eu, por quê? Ao mesmo tempo pensei que tinha de ser forte. Daniel, 37 anos

Nos primeiros dias é importante saber que os sentimentos terríveis dos primeiros tempos são passageiros, que o avanço da infecção pelo VIH pode ser travado, na maioria dos casos, com os meios médicos actualmente ao dispor, e que geralmente há tempo suficiente para discutir calmamente com um médico sobre as medidas necessárias a tomar.

É aconselhável não tomar decisões complexas logo após um resultado de teste positivo. Quanto mais informações obtiver sobre o VIH e, em especial, sobre os efeitos que a infecção e o tratamento podem ter no seu dia-a-dia, mais capaz será de dar passos concretos para combater esta situação. Estes conhecimentos ajudá-lo-ão a combater o medo paralisante. Por outro lado, o facto de reprimir a infecção pelo VIH faz aumentar frequentemente um medo subjacente.

Não hesite em recorrer à oferta de aconselhamento, mesmo que no momento pareça não ter a energia para tal. Terá depois mais margem de acção. Coloque todas as questões que lhe venham à mente e que o preocupem. As pessoas infectadas pelo VIH que já vivem com a infecção há muitos anos aconselham a que se procure rapidamente o contacto com um médico, que possa dar apoio e transmitir confiança.

Para mim teria sido muito útil se soubesse que não estava só, que existiam muitas pessoas no mesmo barco… Natália, 26 anos

No início senti-me miseravelmente. Tive mesmo de ficar três semanas hospitalizada. Agora estou cheia de planos e de ideias… Sofia, 29 anos