A infecção pelo vírus VIH: aspectos mais importantes

As pessoas estão diariamente expostas a agentes patogénicos: bactérias, fungos, vírus, etc. Por essa razão, o corpo possui um sistema de defesa ou imunológico. Este sistema de defesa ataca os invasores e torna-os inofensivos. Isto protege-nos de muitas doenças e faz com que, por exemplo, uma gripe se cure novamente.

Uma função importante nessa defesa é desempenhada por células especiais que se movimentam em todo o corpo e que comandam essa defesa. São as chamadas células helper ou células CD4.

Uma infecção pelo vírus VIH debilita o sistema de defesa durante muitos anos, até este deixar de poder executar devidamente as suas funções. VIH significa Imunodeficiência Humana, ou seja, uma deficiência no sistema imunológico humano.

Os vírus são minúsculos agentes patogénicos. Não podem multiplicar-se autonomamente,e por isso utilizam as células humanas para se multiplicarem. O vírus IH escolhe, para tal, principalmente as células CD4 do sistema imunológico. Ataca e destrói exactamente as células que são importantes para a defesa contra os micróbios patológicos.

O corpo defende-se durante anos contra o VIH e continua a formar novas células CD4. O VIH continua a destruir também estas novas células CD4 acabadas de formar. Durante muito tempo, uma pessoa infectada não se apercebe geralmente desta luta entre as células CD4 e o vírus IH. O sistema imunológico continua suficientemente operacional durante muito tempo.

Soube por mero acaso que era seropositivo. Ao dirigir-me ao médico , foi-me sugerido um teste de Sida, que acabei por fazer. Estava calmo, não tinha qualquer medo. Foi então que: «Sim, é VIH-positivo.» Alexandre, 35 anos

A maior parte das pessoas VIH-positivas não apresentam sinais exteriores que identifiquem a infecção.

Com o passar dos anos, a destruição constante de células CD4 aumenta; o restabelecimento das células é cada vez pior e estas tornam-se cada vez menos funcionais.

Os tratamentos médicos actualmente existentes impedem que o vírus se multiplique nas células CD4. Não é possível fazer desaparecer o vírus, mas é possível travar ou parar
o processo de destruição do sistema imunológico.

Quando o sistema imunológico está nitidamente debilitado, o corpo deixa de poder defender-se devidamente contra outros agentes patogénicos novos. Podem agora declarar-se várias doenças, que, sem a debilidade do sistema imunológico, muito raramente se declaram: p.ex. infecções por fungos na boca e na garganta, tuberculose, uma infecção especial dos pulmões, etc.

Eu tinha tantos problemas nas gengivas, que tive de ir de urgência à Clínica Dentária do Hospital Universitário. O chefe de serviço disse de imediato que eu era VIH-positivo ou que a Sida já se tinha talvez declarado. Era um fungo que só se apresentava desta forma declarada em pessoas com o VIH ou Sida.
André, 26 anos

Estas doenças são designadas por doenças oportunistas, uma vez que os agentes patogénicos aproveitam a oportunidade de um sistema imunológico debilitado. Só quando se declara uma destas doenças se fala de Sida. Considera-se que alguém tem Sida quando está infectado com o vírus IH e sofre de uma doença relacionada com o enfraquecimento do sistema imunológico. Algumas destas doenças podem conduzir à morte. A Sida não é, assim, uma doença específica e autónoma, mas sim a fase
avançada de uma infecção pelo VIH, que não é tratada com êxito.

Há também tratamentos médicos para muitas das doenças oportunistas. – E também neste caso (ou seja, quando alguém tem Sida) um tratamento contra o VIH pode ajudar.