Para marcar o dia Internacional da Mulher (8 de março de 2010), o movimento Women for Positive Action (Mulheres pela Acção Positiva) está a lançar uma série de acções que visam informar e consciencializar as pessoas sobre os desafios que as mulheres que vivem com HIV/SIDA enfrentam actualmente.

O Women for Positive Action (WFPA) é liderado por uma ampla associação de profissionais da saúde, mulheres que vivem com HIV e representantes das comunidades da Europa, Canadá e América Latina. Esta iniciativa global visa apoiar os profissionais da área da saúde e mulheres que vivem como o HIV por meio do fornecimento de recursos, disponíveis para download, em inglês e espanhol em http://www.womenforpositiveaction.org/.

“As mulheres que vivem com o HIV enfrentam muitos desafios em consequência de sua doença e tratamento, incluindo depressão, culpa, isolamento, discriminação e preocupações com a imagem corporal”, disse Sharon Walmsley, Diretora de Pesquisa Clínica de HIV, da Universidade de Toronto, Canadá.

“Os novos recursos do WFPA irão encorajar a formação e estimular a comunicação entre mulheres com HIV e aqueles que delas cuidam.” Os recursos educacionais incluem informação sobre as melhores práticas e pesquisas atuais, além de casos exemplificativos.

O WFPA reúne uma combinação exclusiva de pessoas envolvidas no cuidado de mulheres seropositivas, trazendo as perspectivas imediatas das próprias mulheres que vivem com o HIV. Ophelia Haanyama Orum, Consultora Senior do Parcerias Globais ao HIV e AIDS, Fundação Noahs Ark, de Estocolmo, Suécia, acrescentou, “As mulheres que vivem com HIV representadas na iniciativa do WFPA acolheram com agrado a oportunidade de incorporar as suas próprias experiências e capacidades para procurar as soluções de ordem social e de cuidados de saúde para todas as mulheres afectadas pelo HIV.”

O Grupo visa capacitar, educar e apoiar as necessidades das mulheres que vivem com HIV, seus profissionais da saúde e indivíduos da comunidade envolvidos com o seu bem-estar.

O tema para o Dia Internacional da Mulher deste ano é Direitos iguais, oportunidades iguais: progresso para todos’ e oferece a oportunidade ideal para considerarmos o impacto especial do HIV sobre as mulheres. O conhecimento dos efeitos da doença é o passo principal para melhorar as vidas de mulheres e trabalhar para a resolução das desigualdades de gênero trazidas pelo HIV.

Globalmente estima-se que 33 milhões de pessoas vivam com o HIV. As mulheres perfazem cerca de 50% dos casos de HIV e representam uma proporção maior de novos diagnósticos em comparação aos homens. Isto significa que o infecção por HIV entre mulheres está a aumentar em vários países. Mulheres jovens, na África Sub-Sahariana, com idade entre 15 e 24 anos têm três a quatro vezes mais probabilidade de serem infectadas do que homens jovens (UNAIDS, 2009).

O modo de infecção mais comum é pela transmissão heterossexual e a maioria das mulheres com HIV está em idade fértil. Além disso, as mulheres com HIV têm mais probabilidade de se apresentar em estadios mais avançados da infecção em comparação com os homens.

Visite www.womenforpositiveaction.org para mais informações sobre a WFPA e os projetos em curso. O WFPA é apoiado por uma doação da Abbott.

Para mais informações, entre em contato com:
Women for Positive Action Secretariado do Programa Litmus MME
151 Shaftesbury Avenue London WC2H 8AL Reino Unido
Tel: +44-(0)20-7632-1815 WFPA@litmus-mme.com

Comments are closed.