Na realidade podem aparecer alguns problemas físicos entre as duas ou seis semanas após a exposição ao risco, pressupondo que houve uma infecção. Os principais sintomas assemelham-se a uma constipação ou uma gripe: febre, dilatação das glândulas da tiróide ou linfáticas, inflamação da garganta, dores musculares, diarreia, náuseas, etc. Estes sintomas declaram-se em cerca de 70 a 80% das pessoas infectadas com VIH recentemente e desaparecem espontaneamente.

Mas como vê, é uma lista de sintomas muito comuns, que também revelam outras infecções. Não implicam, por isso, automaticamente que tenha havido uma infecção pelo VIH. Os sinais acima mencionados podem ter causas variadas, por isso evite submeter-se a uma auto-observação exagerada, após o comportamento de risco pois, para além de elevar a ansiedade, poderá reduzir a sua capacidade de distinguir os sintomas.

Se constatar que tem este tipo de sintomas, não perderá nada se consultar um médico e tiver uma conversa franca com ele acerca dos seus receios, ou dirigir-se a uma instituição que lhe posa dar algum aconselhamento, como a Associação Positivo. O seu médico recomendar-lhe-á que faça um teste ao VIH (“SIDA”) que deve ser feito com o seu consentimento. Informe-se, antes da sua decisão, sobre os diversos aspectos e possibilidade de um teste ao VIH (Ver Teste ao VIH e Onde Posso Fazer o Teste).