isualizar registo
Num.Automática:* 24
Titulo:* Terapias/Tratamentos
Texto

Terapia Combinada

Quais os tratamentos médicos possíveis?

Actualmente, não existem medicamentos que curem a infecção pelo VIH e não há nada que nos faça pensar que venha a haver um nos próximos anos. Contudo, a medicina fez progressos. Que existe toda uma série de medicamentos que evitam a propagação do VIH e que já estão à disposição.

É também possível hoje em dia prevenir a maior parte das infecções oportunistas ou pelo menos de as tratar com sucesso se forem despistadas atempadamente.

Muitas vezes as infecções oportunistas não são detectadas porque tornaram-se raras e os médicos não as sabem identificar através dos seus sintomas, é por isso que um teste ao VIH pode revelar-se muito útil para verificar alguns sintomas.

Medicamentos contra o desenvolvimento do VIH (Terapia anti-retroviral = TAR)

Actualmente os medicamentos são divididos por classes de substâncias activas utilizados em diferentes etapas da propagação do VIH:

– Os NRTI (Inibidores Nucleósidos ou Nucleótidos da Transcritase Reversa) infiltram-se como elemento nocivo na célula humana. A transcritase reversa durante a transcrissão do ARN em ADN introduz muitas vezes elementos contidos no medicamento em vez dos elementos naturais, o que interrompe o processo de transcrissão. O património genético do vírus não pode ser introduzido no da célula. Desta forma, impede-se que a informação genética do VIH seja transcrita para a enzima própria do vírus, a transcritase reversa, com a finalidade de se introduzir na informação genética humana.

– Os NNRTI (Inibidores Não Nucleósidos da Transcritase Reversa) bloqueiam directamente a transcritase reversa.

– Os IP (Inibidores da Protease) inibem a enzima própria ao vírus, a prótease, uma proteína tesoura que equilibra as proteínas virais até ao seu estado precursor em unidades funcionais. A produção de novos vírus nas células humanas é assim reduzida.

Nas terapias actuais contra o VIH, várias substâncias activas destas classes são introduzidas ao mesmo tempo para atingir o melhor resultado possível. É por isso que falamos em terapia combinada contra o VIH.

Existem duas outras classes de substâncias activas em desenvolvimento: Os inibidores de entrada que devem impedir o VIH de se fixar nas células visadas ou que ele se funda com estas depois de se ter fixado.

– Os inibidores da integrase que devem inibir a enzima própria ao VIH, integrase, que integra o ADN transcrito do vírus no ADN humano, a maior parte dos medicamentos postos à disposição hoje em dia contra o VIH, estão autorizados em Portugal. Os médicos trabalham nos centros de tratamento ao VIH nos hospitais ou em outras unidades especializadas podem dar todas as indicações e informações necessárias sobre este assunto.

Sucesso da terapia

Os medicamentos inibidores do vírus diminuem o número de vírus livres na corrente sanguínea (carga viral) e aumenta o número de cd4 (linfócitos T): estes são os sinais de uma propagação do vírus mais fraca e de um melhor funcionamento do sistema imunitário. Os medicamentos prolongam também o período sem sintomas e/ou aligeiram os sintomas.

Os medicamentos contra o VIH podem por isso ter numerosos efeitos indesejáveis. Ainda não passou tempo suficiente desde a existência destes medicamentos para saber quais são as suas consequências a longo prazo. Para além disso, uma terapia combinada contra o VIH exige uma disciplina rigorosa na toma dos medicamentos por um período indeterminado. Actualmente, a terapia combinada contra o VIH é a longo prazo.

O objectivo de uma terapia óptima é melhorar o estado do sistema imunitário e estabilizá-lo, provocando o mínimo de efeitos secundários possíveis de forma a que o tratamento possa ser integrado na vida quotidiana.

O respeito da prescrição terapêutica não é suficiente por si próprio. É igualmente importante que a relação entre o médico e o paciente seja boa, que o paciente esteja pronto a informar-se, a investir no tratamento e que beneficie do apoio do seu ambiente social.

Uma terapia combinada contra o VIH – começada a tempo adaptada a tempo e feita de forma correcta – pode aumentar consideravelmente a esperança de vida.

O tratamento é aconselhado quando – o número de cd4 (linfócitos T) e a carga viral atingem valores limites ou pioram rapidamente;

– Aparecem doenças relacionadas com o VIH ou o enfraquecimento do sistema imunitário (por exemplo infecções oportunistas).

As pessoas infectadas pelo VIH que prevêem começar uma terapia combinada contra o VIH ou que desejem saber mais sobre as terapias devem informar-se e aconselhar-se. Poderão ser encontradas mais informações sobre este assunto através do nosso site ou do contacto através de e-mail (colocar nome de brochura do GAT).
Página:* Terapias/Tratamentos – VIH_SIDA_TERAPIAS_TRATAMENTOS